quarta-feira, 29 de julho de 2015

DIVULGANDO: "Magia do Sorriso", de Babi Barreto!

Olá gente lindaaaa!!!
Hoje é dia de notícia boa, meus amados! A autora Babi, Barreto, parceira aqui do blog, acaba de lançar seu segundo romance, o "Magia do Sorriso".

384 páginas

Link de compra na Amazon: http://migre.me/qXZzP

Sinopse: Pode a vida determinar o seu caminho antes mesmo de nascer? 
Ester Públio descobriu isso da pior maneira. Veio a esse mundo marcada pela tragédia e por uma maldição. O que parecia ser uma grande ajuda acaba tornando-se um fardo pesado. 
Embora considerada a maior modelo internacional, sua carreira não substituía o vazio da sua vida. 
Existiria no mundo, alguém imune aos seus encantos? E se surgisse um homem que pudesse preencher o vazio de seu coração? Uma explosão de sentimentos finalmente poderia acontecer... se essa história não fosse regada de inveja e maquinações. 
Os inimigos estão à espreita, e esse amor deverá transpor todas as barreiras do passado. Será ele forte o suficiente para ultrapassar, inclusive, uma artimanha do destino?


Sobre a autora:
Bárbara Barreto é uma leonina, formada em Direito, e nascida em Belo Horizonte, em 1986. Além de ser uma leitora compulsiva, também é apaixonada por música.
Em busca do Verdadeiro, seu primeiro romance, com uma pitada de fantasia, alcançou mais de 150 mil leituras no Wattpad em 2014. Foi através dele que descobriu seu amor pela escrita, mas com Magia do Sorriso consolidou sua carreira como escritora.
[quote]

***
Beijos e amassos!!

terça-feira, 28 de julho de 2015

RESENHA: Fagementados

Editora: Novo Conceito
Autor(a): Neal Shusterman
Número de Páginas: 368

Só porque a lei diz, não significa que é verdade

Sinopse: Em uma sociedade em que os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços, três fugitivos lutam contra o sistema que os fragmentaria .
Unidos pelo acaso e pelo desespero, esses improváveis companheiros fazem uma alucinante viagem pelo país, conscientes de que suas vidas estão em jogo. Se conseguirem sobreviver até completarem 18 anos, estarão salvos. No entanto, quando cada parte de seus corpos desde as mãos até o coração é caçada por um mundo ensandecido, 18 anos parece muito, muito longe.
O vencedor do Boston Globe-Horn Book Award, Neal Shusterman, desafia as ideias dos leitores sobre a vida: não apenas sobre onde ela começa e termina, mas sobre o que realmente significa estar vivo.

Olá gente lindaaa!
Vamos falar de distopia? 
Se você já está cansado de livros do gênero e acha que este livro é mais do mesmo, não desista dessa resenha ainda. Fragmentados vai te surpreender!
Se tem uma coisa que esse livro não é, é mais do mesmo. A premissa é super original (e bizarra), e tal originalidade talvez se deva ao fato de o livro ter sido escrito anteriormente a tantas outras distopias que temos lido nos últimos tempos (o livro foi publicado originalmente em 2007). Que tal dar uma chance a uma distopia louca, mas tão louca que poderia até ser possível. (sei que algumas pessoas que já leram esse livro devem achar esse meu último comentário insano, mas eu logo explico pra você meu ponto de vista).
"O processo pelo qual um criança é ao mesmo tempo eliminada e mantida viva é chamado de 'fragmentação'". (página 4)
Na sociedade futurística do livro, o aborto é proibido, sendo "substituído" pelo aborto retroativo, que nada mais é que dar um jeito em filhos desobedientes. Entre os 13 e 18 anos, se os pais ou responsáveis pelo adolescente resolver que ele não é bom o suficiente ou dá trabalho demais (ou qualquer que seja a desculpa), pode abortá-lo. O procedimento, chamado de Fragmentação, é como se fosse uma doação de órgão, tirando o fato de que não é uma doação propriamente dita já que o doador não tem opção de escolha e, tirando o fato de que não apenas os órgãos são doados, mas 99% do indivíduo. Bizarro, né?!
A narração é em terceira pessoa e pelo ponto de vista de diversos personagens, de modo que é possível acompanhar e compreender melhor o que acontece ao longo da trama. Os três personagens principais (e principais narradores) são Connor, Risa e Lev. O três são fragmentários, ou seja, tiveram a autorização de fragmentação assinada pelos responsáveis. Porém, a princípio, isso é tudo o que têm em comum. 
Connor, aos dezesseis anos, descobre que os pais decidiram fragmentá-lo. A fuga é a única saída, e é nessa fuga que Connor encontra Risa e Lev. Risa, é órfã e cresceu em uma Casa Estadual, um tipo de orfanato/escola do governo, mas por não ter nada a oferecer à sociedade,é mandada para a fragmentação.
Lev, diferentemente de Connor e Risa, não é um fragmentário comum, ele é um dízimo. Filho de pais extremamente religiosos e, sendo o décimo filho do casal, ele nasceu e cresceu sabendo que seu destino era ser um dízimo, ou seja, a décima parte, aquilo que deveria ser entregue em sacrifício. E para ele tudo bem. Dos três, ele é o único que, apesar da insegurança, está confortável com a perspectiva de ser fragmentado.
"- Então, como é - pergunta Connor - passar a vida toda sabendo que você vai ser um sacrifício?
Ele esperava que isso doesse como um soco, mas Lev encara a pergunta como séria.
- É melhor do que passar a vida sem conhecer seu propósito." (página 44)
Durante toda a trama, em meio a ação e fuga dos protagonistas, conhecemos vários outros personagens e tomamos conhecimento do quão complexa é a fragmentação, não apenas pelo fato de ninguém saber exatamente como funciona, mas também pelo fato de dividir tanto as opiniões. O que a Lei da Vida garante é que a fragmentação não mata o fragmentário, apenas permite com que ele continue vivendo... em forma dividida. Até parece! Uma discussão recorrente entre os personagens é a existência ou não da alma e, caso ela exista de fato, o que ocorre com ela quando um indivíduo é fragmentado.
"Sobre a existência da alma, quer fragmentada ou nascitura, as pessoas podem debater por horas a fio, mas ninguém questiona se uma instituição de fragmentação possui alma. Não possui." (página 250)
Confesso que com durante toda a leitura eu me peguei pensando em duas coisas, a primeira delas foi memória celular (sem dúvida o pensamento foi desencadeado por toda essa discussão sobre alma, sobre fragmentação ser diferente de morte, sobre o fragmentário continuar vivendo após sua fragmentação e etc.) e, mais importante, sobre como essa bizarrice toda do livro não é tão louca assim. HEIN? Acontece que a vida (principalmente a vida do próximo) está sendo tão banalizada nos dias atuais, que não me admiraria se um louco tivesse uma ideia similar a essa. E isso é o que mais me assusta em distopias. Eu já falei isso pra vocês em alguma resenha, mas eu acho que as distopias apenas pegam algo que realmente ocorre (muitas vezes por meio de alegorias) e elevam ao máximo do extremo. Assustador!
"Ninguém sabe como acontece. Ninguém sabe como é feita. A colheita dos fragmentados é um ritual médico secreto que fica confinado às paredes de cada clínica de colheita da nação. Sob esse aspecto, não é diferente da própria morte, pois ninguém sabe que mistérios jazem além daquelas portas secretas." (página 273)
***
Fragmentados é um livro perturbador, para dizer o mínimo. Fiquei agoniada em diversos momentos (principalmente quando o processo da fragmentação finalmente foi descrito). Gente, que aflição!
Fiquei bastante surpresa quando soube que o livro é o primeiro de uma série, pois o final de Fragmentados foi bastante satisfatório. É claro que fica uma curiosidade, uma vontade de saber o que acontece com os personagens, mas o final é realmente um final. Mas, olhando as sinopse dos próximos volumes, constatei que contam com a presença dos mesmo personagens, embora eu não tenha certeza se eles são os protagonistas.
Confiram as capas dos próximos volumes, lançados nos EUA. (clique na imagem para maiores informações sobre cada um deles).


***
Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!



sábado, 25 de julho de 2015

Na Minha Caixa de Correio!! #203


Olá gente lindaaaa!!!
Fazia um tempinho que eu não recebia nada (#chateada), mas na última semana eu recebi um livro que quero muuuuuito ler.

PARCERIA:

- O Beijo de Chocolate - (Amor e Chocolate #2) - Laura Florand (ÚNICA Edtora)
304 páginas (amarelas).
Esse é o segundo livro da duologia (acho) "Amor e Chocolate" e, mais uma vez a história é ambientada na linda Paris. Pelo que eu entendi, o livro não é continuação do anterior, são histórias independentes, então vocês podem começar por este sem culpa.
Notem esse marcadores gigantes que a editora enviou junto com o livro! Tô apaixonada! <3





- Recebi também, da autora parceira Amanda Ághata Costa, alguns marcadores do livro dela, "A Escolhida". Olhem que coisa mais linda! *-*
E ainda por cima, estão toooodos autografados.
Estou lendo o livro em e-book e assim que eu finalizar a leitura tem resenha + sorteio de marcadores pra vocês.


***
LI:
- A Promessa da Rosa - Babi A. Sette (RESENHA AQUI!!)

LENDO:
- Fragmentados - Neal Shusterman (Editora Novo Conceito)

***
Beijos e amassos!!

terça-feira, 21 de julho de 2015

DIVULGANDO: "Minha Querida Aline", de Marcelo Vinicius

Olá gente lindaaaa!!!
Na última semana recebi um e-mail do autor Marcelo Vinícius, perguntando se eu teria interesse em ler seu livro de estréia, "Mina Querida Aline". Confesso que não sei muito o que esperar do livro, mas... estou sempre disposta a divulgar a literatura nacional nesse mundão de meu Deus.
Abaixo confiram a capa e sinopse do livro.

Minha Querida Aline
Autor(a): Marcelo Vinícius
Editora Multifoco
114 páginas

Adquira o livro aqui:
Livraria CulturaLivraria da TravessaEditora Multifoco

Sinopse: Mais que uma história de amor, esta obra traz a trajetória de um jovem apaixonado, porém devastado, narrando suas aflições amorosas ao próprio leitor. Ele conta sobre um amor não correspondido, intenso e tempestuoso. Desde o início, ele soube que sua amada Aline não poderia ser sua, pois ela não gostava de garotos.
Mas o tempo é um martírio para as almas envoltas pela paixão. Com o convívio diário, o jovem se apaixonava cada vez mais por ela. Passeios na universidade, longas conversas, reflexões, confissões foram momentos que contribuíram para fazer com que se esquecesse do mundo e só visse importância em Aline.
Ele não consegue esquecê-la e se culpa por isso. Por vezes, depois de tomar atitudes que beiravam a loucura para tentar conquistá-la, justificando-as com a teoria do amor puro (visão particular desse jovem em relação à citação de Nietzsche “aquilo que se faz por amor está acima do bem e do mal”), sabia que nunca poderia tê-la, mas, ao contrário de outros livros, aqui, esse amor não o fortalece, e sim, o destrói. Assim, encontramos a contradição de uma alma, que vai da extrema contração do ódio à redenção pelo amor.

****
Beijos e amassos!!

segunda-feira, 20 de julho de 2015

RESENHA: A Promessa da Rosa

Editora: Novo Século
Autor(a): Babi A. Sette
Número de Páginas: 432


Sinopse: Século xix: status, vestidos pomposos, carruagens, bailes… Kathelyn Stanwell, a irresistível filha de um conde, seria a debutante perfeita, exceto pelo fato de que ela detesta a nobreza; é corajosa, idealista e geniosa. Nutre o sonho de ser livre para escolher o próprio destino, dentre eles inclui o de não casar-se cedo. No entanto, em um baile de máscaras, um homem intrigante entra em cena… Arthur Harold é bonito, rico e obstinado.
Supondo, por sua aparência, que ele não pertence ao seu mundo, à impulsiva Kathelyn o convida a entrar no jardim – passeio proibido para jovens damas. Nunca mais se veriam, ela estava segura disso. Entretanto, ele é: o nono duque de Belmont, alguém bem diferente do homem que idealizava, só que, de um instante a outro, o que parecia a aventura de uma noite, se transforma em uma paixão sem limites.
Porém, a traição causada pela inveja e uma sucessão de mal-entendidos dão origem ao ciúme e muitas reviravoltas. Kathelyn será desafiada, não mais pelas regras sociais ou pelo direito de trilhar o próprio caminho, e sim, pela a única coisa capaz de vencer até mesmo a sua força de vontade e enorme teimosia: o seu coração.

Olá gente lindaaa!
Ahhhh, eu nem sei por onde começar.
Você sabem que eu sou apaixonada por romances de época e, igualmente apaixonada pela escrita envolvente da autora Babi A. Sette (desde que tive a oportunidade de ler seu livro de estréia, "Entre o Amor e o Silêncio"). "A Promessa da Rosa" poderia ser considerado só mais um romance de época, daqueles que tanto adoramos (eu adoro!) e que nos divertimos tanto lendo e conhecendo uma época que nos parece tão remota. Poderia ser, não fosse o fato de ser muito mais. Infelizmente, ao longo dessa resenha eu não poderei enumerar em que o livro supera em muito o que estamos acostumados. Não é uma questão de saber por meio de alguns palavras minhas, você precisam ler o livro e sentir por vocês mesmo.

Kathelyn Stanwell, nossa mocinha, não é o que podemos chamar de exemplo de boa moça, pelo menos não segundo os padrões de sua época. Sempre foi movida por aventura e não se contenta com o que é delegado às mulheres de seu tempo. Diferente da maioria, ela não está interessada em se casar por conveniência. Ela espera se casar por amor. Ok, vários outros romances do gênero apresentam mulheres à frente de seu tempo (até Jane Austen criou personagens assim). Então, o que Kathelyn tem de diferente. Simple, ela é uma personagem MUITO forte. E você só terão noção de tamanha força quando lerem o livro. Com ela não tem mimimi ou choro a torto e à direita.
"Mas ela nasceu assim, com essa ardência de dentro que a levava sempre a querer mais da vida. Acontece que a vida para quem usa saias, ao menos para as saias de Kathelyn, não era muito fácil." (página 17)
Após sua apresentação à sociedade de Londres, Kathelyn ficou de castigo, proibida de colocar os pés para fora de casa. Pensar em frequentar os bailes da temporada, então, fora de cogitação. Tudo porque ela resolver ouvir seu espírito livre e acabou fazendo a maior cena diante de vários nobre (e pretendentes). Assim, quando (após um mês!), ela finalmente é autorizada a  participar de um baile (UM ÚNICO BAILE!), é um motivo de grande alegria para Kathe, não pelo baile em si, já que ela pouco se importa com esse tipo de coisas, mas pelo fato de que o nobre que oferece o baile possui uma incrível coleção de antiguidades. O que Kathe tem a ver com isso? Bem, ela é apaixonada pela história grega e todas essas antiguidades, por isso não poderia estar na mesma casa que uma coleção desse quilate e não dar uma escapada para conferir cada um dos itens que compõem a coleção.
Ela só não contava com ser surpreendida.... justamente enquanto invadia o escritório onde a coleção estava muito bem guardada. 
"Os olhos amarelos, eram como a luz quente do sol de meio-dia, infiltrava-se por todas as frestas e não deixava nada sem ser aquecido. Ele tinha o rosto quadrado esculpido como a perfeição simétrica da arte grega." (página 21)
Kathe pensa que o homem que a descobriu - tão cheio de músculos e exalando liberdade e exotismo não é um cavalheiro. Ele não se parece com os cavalheiros com os quais está habituada. Certamente ele está ali para roubar as antiguidades. Ele, por outro lado, acreditar ter pego uma ladra no flagra.
Assim, ignorando a identidade um do outro, eles se sentem atraídos um pelo outro. Ele pela paixão que ela demostra ter pelas antiguidades e mitologias gregas. Ela, pela postura e pelo olhar que não desgruda do seu. Com a certeza de que jamais encontrará o Falcão (como ela o apelida, mentalmente), Kathe resolve se arriscar e viver uma aventura: vai até o jardim com ele. Parece pouco, mas quão escandalizada a sociedade inglesa ficaria ao saber que uma dama esteve a sós com um cavalheiro na escuridão do jardim. Após alguns beijos trocados, Kathe cai em si e deixa o misterioso homem plantado no jardim, ardendo pelo desejo não satisfeito.
"Não estava atrás de um título para agarrar como marido. Não se impressionava com isso e não se intimidava diante dele. Era cheia de energia e não se conformaria com uma vida ordinária." (página 69) 


O misterioso Falcão, ao invés de um ladrão ou qualquer que tenha sido a ideia de Kathe, é Arthur, o nono duque de Belmont, um dos melhores e mais cobiçados partidos da temporada.
Desde o primeiro encontro entre esse dois, é pura sedução, situações engraçadas e muitas faíscas. Ahhhh, e muitos mal entendidos. Sabe quando tudo está indo muito bem, obrigada e acontecem algo pra desandar com tudo? Bem, isso acontece com certa frequência na trama. Quando eu estava toda "suspiros", a Babi resolveu me puxar o tapete. Babi, Babi, que maldade!
Há uma passagem no tempo em que temos um pano de fundo bem diferente. Apenas três anos se passaram, mas muita coisa mudou. É nesse ponto que conhecemos o poder das palavras... e dos boatos. A palavra não tem dono, ela corre desvairada, de modo que uma pequena mentira se torne uma verdade universal. Isso tanto pode ser bom, quanto ruim...
E não pense você que esse tal duque é o mocinho da vida. Ele não é o típico mocinho que só faz 'cavalheirices' e é amado desde o princípio. Ele é tão paradoxo, que quase chega a ser real. Eu, por vezes, fiquei dividida entre a vontade de tê-lo pra mim e a vontade de estapeá-lo. É esse tipo de mocinho, esse tal de Arthur. Tsc tsc.
Ah, e a Kathe? Pensem nua mocinha que passou por poucas e boas e não perdeu sua essência. Não se deixou derrubar, não desistiu e ganhou mais força. Sempre autêntica, embora sua situação tenha mudado. Não posso falar das cenas que me arrepiaram, que me chocaram, que me deixaram descabelada de angústia, aflição ou indignação... bem que eu queria encher essa resenha de spoiler, mas prefiro que você leiam e sintam tudo o que eu senti.
"Antes de fechá-la atrás de si, olhou pela última vez para o homem que mudou toda a sua vida e continuava a mudar. O homem que amava e que talvez amasse para sempre. Ele havia caminhado até a janela e estava de costas para ela. essa era a última imagem que teria de Arthur - uma vez mais, ele lhe dando as costas." (página 420)
E o final, minha gente? Suspiros, suspiros, suspiros e... dá vontade de voltar ao início do livro e ler tudo de novo! (P.S.: no final, o título do livro vai fazer todo sentido! <3)
Um prato cheio para os apaixonados por romance (regado a muitos desencontros e sofrimentos). Eita, novela mexicana! (com a diferença de que a mocinha não é chorona).
Infelizmente essa resenha não chega aos pés do que eu gostaria de contar pra vocês, mas espero ter, pelo menos, deixado vocês curiosos. ;)
Se eu recomendo? Nem precisa perguntar!  Após dois livros incríveis, lindos, sensíveis e mais do que apaixonantes, posso dizer que recomendo de olhos fechados qualquer coisas que a babi escrever. Juro juradinho.
Babi, bem vinda a minha lista de autoras favoritas da vida! <3

Classificação:

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

sexta-feira, 17 de julho de 2015

DIVULGANDO: Saga Linear!

Olá gente lindaaa!
Sim, hoje eu vim divulgar mais um livro nacional (que tem sido muuuuuuuuito bem comentados nas redes sociais) de uma autora independente. Trata-se do livro "A Trilha", primeiro volume da Saga Linear, da autora Amanda V. Seixas.



A Trilha (livro #1)
Autor(a): Amanda V. Seixas
368 páginas

LINKS PARA DOWNLOAD GRATUITO:
Amazon | Livraria Cultura | Site Kobo

Sinopse: Depois de passar os últimos anos viajando pelo mundo, Alexis Vienna e sua mãe se estabelecem em Londres. Após uma noite de cinema com os amigos, Alexis se vê no lugar mais improvável possível: A Floresta Amazônica. 
Sua memória sobre os últimos 6 meses está perdida. Desaparecimentos e mortes inexplicáveis cercam o mistério por trás de sua nova estada no Brasil, onde ela terá que lidar com a outra parte de sua família e com os fantasmas de seu passado.

Mídias Sociais: 

O romance "A Trilha" é o livro de estréia de Amanda V. Seixas. A proposta da autora é de criar uma série nacional com elementos voltados para o público jovem, mas que podem ser apreciados por pessoas de todas as faixas etárias. A escolha do pseudônimo Amanda V. Seixas serviu como forma de colocar a série a frente do público: "Gostaria que o público pudesse apreciar a série se focando apenas na história, e não em quem a escreveu. Numa época em que a maioria de nós está tão presente nas redes sociais, seria impossível fazer isso sem ser dessa forma", explica a autora.
Amanda V. Seixas também afirma que foi influenciada por filmes e séries para a criação de seu enredo, além de livros clássicos de literatura brasileira, portuguesa e francesa: "Comecei a escrever a série há muito tempo, uns 8 anos talvez. E acabei também sofrendo a influência de séries de Young Adults americanas. Elas estão por toda parte e seria impossível não reconhecer isso."

O livro foi lançado em outubro de 2014, mas ainda não foi publicado por nenhuma editora (Editoras, que tal conhecer o livro?....). Atualmente o segundo livro da série está sendo escrito, com previsão de lançamento para o final de 2015.

***
Beijos e amassos!!

quinta-feira, 16 de julho de 2015

NOVIDADE!! #202

Olá gente lindaaaa!!!
Eu sei que no último sábado eu mostrei os lançamentos de julho da Editora Novo Conceito (nem todos...), mas hoje vocês têm a oportunidade de conferir as sinopses e saber quais livros a editora estará lançando neste mês. Bora conferir?



Soldier: Leal até o Fim
Autor(a): Sam Angus
256 páginas | R$ 31,90 


Sinopse: Quando Tom Ryder é convocado para lutar na Primeira Guerra Mundial, não imagina o quanto o seu irmão mais novo, Stanley, sentirá sua falta. A única alegria do garoto são os filhotes de Rocket, a cadela premiada que é o orgulho da família. Porém, ao descobrir que Rocket teve filhotes mestiços, o pai de Stanley fica furioso e ameaça afogar os cãezinhos.
Inconformado e desejando reencontrar Tom, Stanley foge de casa. Mentindo a idade, consegue se alistar no exército britânico. Somente o amor incondicional pelos animais será capaz de fazê-lo sobreviver à brutalidade e à frieza dos campos de batalha. Uma prova de que a inocência e a sensibilidade podem ser mais poderosas do que a guerra.
SOLDIER: Leal até o fim é um livro emocionante e intenso, recomendado para leitores de todas as idades, especialmente para os apaixonados por cães.

 Mentiras que Confortam
Autor(a): Randy Susan Meyers
368 páginas | R$ 39,90

Sinopse: Cinco anos atrás...
Tia apaixonou-se obsessivamente por um homem por quem nunca deveria ter se apaixonado. Quando engravidou, Nathan desapareceu, e ela entregou seu bebê para a adoção.
Caroline adotou um bebê para agradar o marido. Agora ela questiona se está preparada para o papel de esposa e mãe.
Juliette considerava sua vida perfeita: tinha um casamento sólido, dois lindos filhos e um negócio próspero. E então ela descobre o caso de Nathan. Ele prometeu que nunca a trairia novamente, e ela confiou nele.
Hoje...
Tia ainda não superou o fim do seu caso com Nathan. Todos os anos ela recebe fotos de sua garotinha, e desta vez, em um impulso, decide enviar algumas delas para a casa do ex-amante. É Juliette quem abre o envelope. Ela nunca soube da existência da criança, e agora precisa desesperadamente descobrir quantas outras mentiras sustentaram o seu casamento até hoje.

Fragmentados
Autor(a): Neal Shusterman
320 páginas | R$ 34,90


Sinopse: Em uma sociedade em que os jovens rejeitados são destinados a terem seus corpos reduzidos a pedaços, três fugitivos lutam contra o sistema que os fragmentaria .
Unidos pelo acaso e pelo desespero, esses improváveis companheiros fazem uma alucinante viagem pelo país, conscientes de que suas vidas estão em jogo. Se conseguirem sobreviver até completarem 18 anos, estarão salvos. No entanto, quando cada parte de seus corpos desde as mãos até o coração é caçada por um mundo ensandecido, 18 anos parece muito, muito longe.
O vencedor do Boston GLobe-Horn Book Award Neal Shusterman desafia as ideias dos leitores sobre a vida: não apenas sobre onde ela começa e termina, mas sobre o que realmente significa estar vivo.
Assista ao Book Trailer:


***
Beijos e amassos!!