terça-feira, 21 de abril de 2015

NOVIDADE!! #190

Olá gente lindaaa!!!
Já conferiam os lançamentos IMPERDÍVEIS da Editora Novo Conceito? Aproveitem o feriadão para degustar as sinopses. ^^



Neve na Primavera
Autor(a): Sarah Jio
336 páginas | R$ 34,90

Sinopse: Seattle, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar. Ela odeia o turno da noite, mas o emprego de camareira no hotel garante o sustento de seu filho.
Na manhã seguinte, o dia 2 de maio, uma nevasca desaba sobre a cidade.
Vera se apressa para chegar em casa antes de Daniel acordar, mas encontra vazia a cama do menino. O ursinho de pelúcia está jogado na rua, esquecido sobre a neve.
Na Seattle do nosso tempo, a repórter Claire Aldridge é despertada por uma tempestade de neve fora de época. O dia é 2 de maio. Designada para escrever sobre esse fenômeno, que acontece pela segunda vez em setenta anos,
Claire se interessa pelo caso do desaparecimento de Daniel Ray, que permanece sem solução, e promete a si mesma chegar à verdade. Ela descobrirá, também, que está mais próxima de Vera do que imaginava.

 O Mago
Autor(a): Fernando Morais
624 páginas | R$ 59,90
Novas Ideias

Sinopse: Sem medo da polêmica, O Mago desnuda o passado de um homem que viveu intensamente os seus anos loucos. Nenhum tema foi proibido e nada foi tratado de maneira superficial: do desbunde em plena onda hippie à conexão com o misticismo, que transformaria a persona do escritor em guru espiritual das massas. Das práticas de satanismo à peregrinação pelo caminho de Santiago de Compostela. Da Sociedade Alternativa à vida de celebridade pop. Das acusações de plágio à consagração em países tão distantes quanto Rússia e Arábia Saudita.
Nessa devassa consentida, Paulo Coelho entregou seus 170 diários e um baú de relíquias ao genial jornalista investigativo Fernando Morais, que traçou um retrato preciso e impressionante do maior fenômeno literário já visto no Brasil. Paulo Coelho é o autor mais vendido da língua portuguesa de todos os tempos. Foram mais de 150 milhões de exemplares em mais de 150 países. Seus livros foram traduzidos para nada menos que 66 idiomas.
Sobre a natureza chocante das revelações, o biografado revelaria, tempos depois: Com a leitura de O Mago consegui dormir em paz pela primeira vez em muitos anos . Se a exposição frenética de tragédias e fraquezas pode parecer agressiva para muitos, para Paulo Coelho foi libertadora.

A Lista
Autor(a): Cecelia Ahern
384 páginas | R$ 39,90


Sinopse: Kitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente.
Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira.
Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas.

 A Playlist de Hayden
Autor(a): Michelle Falkoff
288 páginas | R$ 34,90

Sinopse: Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente
Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava.
A PLAYLIST DE HAYDEN é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.

***
Beijos e amassos!!

segunda-feira, 20 de abril de 2015

RESENHA: Timestorm (Tempest #3)

Editora: Jangada
Autor(a): Julie Cross
Número de Páginas: 368

Sinopse: A batalha entre o Tempest e o Eyewall, as duas divisões da CIA que combatem as ameaças relacionadas a viagens no tempo, chega a uma conclusão chocante neste último livro da trilogia Tempest. Agora, a busca pela sobrevivência estende os limites da história, tanto no passado quanto no futuro, e o mundo que Jackson Meyer conhecia se torna um lugar marcado para sempre pelos efeitos nocivos das viagens no tempo. Após escapar das garras da morte depois da sua mais longa viagem, ele constata que precisa deter os experimentos de Thomas e do Dr. Ludwig na sede do Eyewall. O que se inicia como um plano de fuga torna-se uma guerra entre o tempo e a humanidade, entre o livre-arbítrio e a paz.

Olá gente lindaa!!
Eu finalmente li o terceiro e último livro da trilogia Tempest (aleluia! aleluiaaaaa!). Digo "finalmente" porque recebi um exemplar do livro em novembro (e me lembro de quase ter implorado para que a editora me enviasse logo), mas como é de praxe, e outros foram chegando, ele foi ficando e... durante boa parte da leitura eu fiquei boiando. ¬¬

Confira as resenhas dos outros livros da trilogia:
Tempest (livro #1) | Vortex (livro #2)

ATENÇÃO: Esta resenha contém spoilers dos livros anteriores.

Bem, eu li o segundo livro da trilogia em outubro de 2013, daí você podem entender o motivo de eu ter boaiado ao iniciar a leitura de "Timestorm". Minha memória é péssima, gente! E, se eu fiquei um pouco perdida, acredito que você também ficarão, por isso vou tentar fazer um resumão (bem resumido, mesmo) para refrescar a memória de vocês e a minha.
Bem, em "Tempest", o jovem Jackson Meyer descobre que pode viajar no tempo. Em um primeiro momento tudo é diversão. Por que não seria? Porém, suas viagens na linha do tempo que começam como uma brincadeira começa a desencadear uma série de complicações e, um dos motivo é que seus saltos (integrais, ou não. P.S.: saltos integrais são aqueles em que as ações de Jackson podem mudar o curso dos acontecimentos) acada criando uma nova linha do tempo, um Universo B. Após presenciar, impotentemente, sua namorada Holly ser baleada por viajantes do tempo, Jackson precisa tomar decisões cada vez mais difíceis. Ora, tentar mudar o passado para evitar o ataque à Holly, outra tentando reconquista-la. Muitos leitores da trilogia não "compraram" esse romance, mas eu botei fé e torci por um final feliz (na medida do possível) até o final.
Em "Vortex", por sua vez, muitas e muitas reviravoltas acontecem. Jackson, que acreditava ter feito o melhor para que Holly e Adam (pelo menos os das versão de 2007) ficasse seguros, se depara com a seguinte revelação: ambos, agora em 2009, são agentes da CIA, mais especificamente agentes do Eyewall, uma organização "rival".
Agora, em "Timestorm", o livro já começa com o que podemos chamar de PROBLEMÃO. Jackson, assim como Holly, Adam, e muitos outros personagens conhecidos dos livros anteriores, estão presos em 3200. Acredito que é a partir desse momento que a trilogia deixa de ser apenas sobre viagens no tempo e passa a ser uma espécie de distopia apocalíptica.
Nessa nova realidade, todos terão de unir suas lembranças, habilidades e forças para pensar em um modo de voltar ao ano de 2009. A obra é cheia de ação e suspense, mas o fato de estarem presos lhes deu tempo para analisar melhor a situação, juntar as peças do quebra-cabeças  e, juntos, bolarem um plano. Apesar de Jackson ainda ser o protagonista da história, temos a chance de conhecer outros pontos de vista, como acontece quando temos acesso as lembranças de Blake. Muita coisa que não entendemos nos livros anteriores passam a fazer um pouco mais de sentido.... embora o universo de Julie Cross seja para lá de complexo.
Jackson está mais maduro e eu gostei de rever alguns personagens, principalmente Adam. Gostei, ainda, do fato de o romance não ser o centro de tudo. Há muito mais em jogo. Sacrifícios precisarão ser feitos por um bem maior. Será que Jackson e os outros estarão dispostos a se sacrificar pelo bem da humanidade?
"Meus olhos se desviaram para o meu pai e Courtney e, por fim, para Holly, e meu estômago se contraiu. Eu seria leal o suficiente a essa missão para arriscar a nossa sobrevivência? Será que iria estragar tudo novamente para proteger Holly ou meu pai ou Courtney ou Adam ou Emily? Acho que só havia uma maneira de descobrir." (página 222)
***
Apesar de ter ficado perdida em alguns momentos, pelo fato de não me lembrar muito bem dos acontecimentos dos livros anteriores,  eu gostei do rumo que a história tomou em "Timestorm" e do modo como Julie Cross solucionou tudo, do modo como tudo foi bem amarrado e bem explicado. Confesso que ainda fico confusa com essa história de versão 007 ou versão 009 dos personagens. Acho estranho o fato de Jackson se relacionar com várias versões de Holly... confuso ter várias lembranças com alguém e esse alguém não tê-las.
Acredito que a trilogia Tempest tem tudo para agradar diferentes leitores. A narrativa sempre ágil, sempre cheia de elementos surpresa. Super recomendo.

Classificação:

P.S.: Há também um conto, intitulado "O amanhã é agora", que se passa antes do início da trilogia. Eu ainda não li, mas pretendo ler, sem dúvida.

***
Espero que gostem!!

Beijos e amassos!!

sábado, 18 de abril de 2015

Na Minha Caixa de Correio!! #193


Olá gente lindaaaa!!
Confiram o que eu recebi na última semana. ^^

GANHEI:

- Uma História de Amor e TOC - Corey Ann Haydu (Editora Galera Record)
320 páginas.
Maiis uma vez eu fui surpreendida ao receber o exemplar de um dos lançamentos da editora Galera Record (não mais parceira do blog...). Eu confesso que não havia lido nada sobre o livro, mas no momento em que o tive na mãos fiquei apaixonada. A sinopse me deixou bastante curiosa e a premissa é, sem dúvida, ousada. Mal posso esperar para ler.
O livro veio com um marcador e um recadinho. ^^




- Trilogia Peça-me o que Quiser - Megan Maxwell (Editora Suma de Letras)
Ganhei os três livros em uma promoção do blog Segredos Entre Amigas, da fofíssima Bárbara Sá. Desde o lançamento eu quero muito ler a trilogia... mesmo sendo mais uma trilogia erótica e tal. rs

Peça-me o que quiser (livro #1) - 398 páginas
Peça-me o que quiser agora e sempre (livro #2) - 332 páginas
Peça-me o que quiser ou deixe-me (livro #3) - 364 páginas


VISÃO GERAL:

***
LI:
- Timestorm (Tempest #3) - Julie Cross (Editora Jangada)
- O Caminho Certo - Ana Martines (Publicação Independente)

LENDO:
- Escolhas - Cristina Valori (Qualis Editora)

***
Beijos e amassos!!

sexta-feira, 17 de abril de 2015

#SemanaPecaminoso - Blake e Isa no Divã...


Olá gente lindaaa!!
Hoje, para encerrar a #SemanaPecaminoso, a autora Gisele Souza nos conta um pouco sobre como foi escrever "Pecaminoso". Conferimos ainda os protagonistas Blake e Isa no divã para, em seguida, degustar uma cena extra do livro.

Como foi escrever Pecaminoso
Escrever esse livro foi como me libertar. Acho que todo autor passa por um bloqueio autoimposto que impede que se deixe fluir, isso aconteceu comigo no início da carreira. Tinha medo de escrever certas coisas, medo da reação dos leitores ao ler, mas Pecaminoso me libertou. Isabella e Blake fizeram parte disso, eles foram essenciais para meu amadurecimento na escrita. Eu escrevo sem medo de ser feliz, simplesmente deixo fluir. Mesmo que ainda tenha medo, sempre terei, e que muitos bloqueios criativos aconteçam, eu não prendo mais minha criatividade.
Criar Isabella foi maravilhoso, aprendi muito com ela através do seu desejo de liberdade, sensualidade. Contudo, mesmo sendo uma garota comum, quando se ama a si mesmo você pode ser quem você quiser.
No começo, Blake me irritou profundamente, mas no decorrer da história me apaixonei perdidamente pelo carrasco safado, como diz a Isa. Ele é um personagem intenso, arrebatador e inesquecível. Claro que sou suspeita pra falar, amo todos os personagens que crio, menos os vilões. (risos)

Blake e Isa no Divã
Estava sentada com minha cadeira virada e o com o notebook ligado atrás de mim, com o cursor piscando, porque eu tinha trabalho a fazer. Porém, para testar minha paciência, esses dois tinham que me dar trabalho. Bem, eu os amava com todo meu coração, não era trabalho exatamente lidar com eles. Mas essas brigas eram tão constantes e, no final, eu sabia como terminaria. 
— Tudo bem, podem dizer o que os trouxeram aqui. Tenho que trabalhar... 
Isa revirou os olhos e olhou as unhas recém-pintadas. Blake estava com o tornozelo apoiado no joelho e me olhava atenciosamente, ele estava lindo para variar, né? Aquele terno bem cortado o deixava ainda mais bonito do que eu poderia imaginar. Naquele momento, eu entendia a incapacidade de Isabella em resistir ao carrasco.
— Bom, não foi minha escolha estar aqui. Tinha um compromisso inadiável e esse aí — Apontou para Blake, que bufou irritado. — me trouxe aqui!
Blake olhou para Isa com a sobrancelha arqueada. 
— Que compromisso, Isabella? Eu não estava sabendo de nada. E isso foi uma das coisas que nos trouxe aqui. Você é irresponsável, não mede seus atos, coloca-se sempre em perigo sem pensar nas consequências, lembra-se do nosso aniversário na cabana, né?
Ela abaixou a mão calmamente e respirou fundo, olhou pra mim de soslaio como se me pedisse ajuda. Dei de ombros escondendo um sorriso. Esses dois... 
— Nem tudo que eu faço, você tem que ficar sabendo. Vamos logo com essa merda, não é por você, querida, sabe que adoro sua companhia. 
Assenti sorrindo, adorava a companhia daquela garota. Como ela me divertia, ensinava e surpreendia.
— Vamos, Blake. Se a ideia não foi da Isa, foi sua. O que está havendo? O que posso fazer pelos dois. 
Ele arranhou a garganta e esticou a coluna, se mexeu desconfortavelmente e desviou o olhar por um momento. Às vezes, ele parecia um menino quando ficava constrangido. Coisa mais linda!
— Ok, vou falar de uma vez. — Respirou fundo. — Diga a essa provocadora que na empresa não podemos ter mais encontros quentes. 
Franzi a testa e fixei meus olhos nos dele. Pela minha visão periférica, vi Isa bufar e fazer caretas.
— E por que isso nessa altura do campeonato? Os dois protagonizaram coisas intensas na empresa inteira, pelo visto.
— Ah, você sabe. Ela me encurrala nas salas, na cozinha, banheiro e não posso resistir. Mas agora que está tudo em modo familiar, vamos dizer assim, temos que nos conter. Não quero que fiquem pensando coisas dela.
Isa bufa e joga a cabeça para trás. Murmura um: “velho entediante” e eu escondo um sorriso pela carranca que Blake faz. 
— Blake, querido. Não estou entendendo o porquê você quer manter todo esse “respeito” agora. O que mudou? 
Ele abriu e fechou a boca parecendo cada vez mais desconfortável. Isa levantou-se de supetão e colocou as mãos na cintura. 
— Porque ele é um idiota, controlador e chauvinista. Eu quero tê-lo quando sinto desejo, ele tem que parar de querer me provocar, se quer manter a porcaria da compostura. Ele me olha e já quero pular nele! O que posso fazer?
Arregalei os olhos e encostei-me à cadeira cruzando os braços. Esses dois me davam tanto trabalho.
— Isabella, transar cinco minutos antes de uma reunião não é tão legal. Fico sentindo seu gosto em mim e não consigo me concentrar. Fico latejando de desejo.
Coloco minhas mãos para o alto e reviro os olhos. 
— Por favor, sem detalhes. 
Isa se vira pra mim sorrindo, aquele sorriso debochado que só ela sabe dar.
— Não seja hipócrita, você criou isso tudo. Principalmente esse cara arrogante. —  Apontou o dedo para o Blake, que sorria amplamente pra mim.
Eu me derretia completamente com aquele olhar pecaminoso.
— Ok, mas não quer dizer que preciso ouvir de seus encontros ao vivo, quando estou criando as cenas estou sem expectadores, ok? — Acredito que enrubesci com o sorriso cúmplice dos dois. — Mas diga, Blake, o que você quer, na verdade? Sei que gosta do fogo da Isa. Está com ciúmes, algo assim? 
— Quero que ela pare de me provocar. Sinto vontade de jogar essa mulher em cima da mesa a todo momento, e isso me deixa disperso. 
Torci a boca de lado e franzi a testa olhando de um para o outro.
— Mas aí não seria Isabella... 
Ele pareceu pensar por um minuto e a louca se virou pra mim sorrindo com os polegares para cima. Deus, como esses dois sabiam ser irritantes!
— Isso é verdade!
Eles se entreolharam e sorriram apaixonadamente, revirei os olhos. Bati com as duas mãos nas pernas e me levantei. 
— Bem, se for só isso eu preciso trabalhar. A gente se vê daqui umas semanas, tenho uma surpresa para os dois.
Isa sorriu e deu pulinhos de alegria, aproximou-se e me abraçou. E, em seguida, andou até a porta esperando por Blake. Ele, por sua vez, pegou minha mão e depositou um beijo casto.
— Obrigado por tudo, querida!
— Eu que agradeço aos dois por tudo que me proporcionaram. — E eu realmente queria dizer isso. Ele sorriu amplamente e se aproximou da sua provocadora.
Eles saíram do quarto e fui até a porta para observá-los, no meio do corredor entrelaçaram seus dedos e se entreolharam. Blake com seu terno impecável, aura controlada e seriedade profissional. Isa com sua personalidade extrovertida de mulher que sabe o que quer. Eram tão diferentes e, ao mesmo tempo, se assemelhavam tanto. Enquanto ele era calmo, ela era explosiva. E essa era toda a magia, um completava o outro.

O que seria de mim sem esses loucos? Possivelmente minha vida não seria tão divertida.

***
Confira mais uma cena extra do livro!



*** 
Beijos e amassos!!

quinta-feira, 16 de abril de 2015

#SemanaPecaminoso - Degustando o primeiro capítulo!


Olá gente lindaaaaa!!!
A #SemanaPecaminoso está quase chegando ao fim, mas não poderia terminar sem antes lhes dar a oportunidade de degustar o primeiro capítulo (e em seguida correr para a livraria mais próxima e garantir seu exemplar).



****
Leia através da miniatura acima ou clique AQUI!

Beijos e amassos!!


quarta-feira, 15 de abril de 2015

#SemanaPecaminoso - Conhecendo os personagens

Olá gente lindaaa!!!
Nesta quarta-feira de #SemanaPecaminoso vamos conhecer melhor os personagens principais dessa história, por meio de uma entrevista super interessante com a autora e... com os personagens Blake e Isa.


Perguntas enviadas pela leitora Carla Fernanda:
Gisele, quando você idealizou Pecaminoso, como seria inicialmente os protagonistas? Me fale um pouquinho mais sobre Isa e Blake. 
Bem, inicialmente Pecaminoso foi apenas um conto. Quando terminei minha aula de escrita, a professora me aconselhou a escrever contos e postar gratuitamente para que as pessoas conhecessem minha escrita. Na época eu tinha terminado “Inspiração”, meu primeiro livro publicado em formato digital, e ele estava em fase de revisão. Então, escrevi o conto por uma ideia que tive. Como gosto muito de histórias que envolvem CEO, tive essa ideia de um encontro quente em um escritório. A reação dos leitores foi impressionante, praticamente todos que leram o conto pediam continuação da história do casal, mas eu não queria, acho que pela quantidade de livros com esse tema fiquei receosa. Então, continuei em um projeto que estava, que era o segundo livro da série o “Impulso”. O conto continuou fazendo sucesso e os pedidos não paravam. Então, decidi continuar a história e postar no Wattpad, onde ele foi tão solicitado. Só que eu queria fazer algo diferente, não queria uma mocinha inocente e nem um cara totalmente arrogante. Tive muita ajuda dos leitores, os comentários e pontos de vistas deles me impulsionaram e animaram. Pecaminoso fluiu tão naturalmente, foi delicioso escrever. Mas eu acredito que tudo tem seu tempo certo, se eu tivesse continuado a história na época que fiz o conto não teria sido do mesmo jeito. Pecaminoso surgiu no tempo certo! 
Bom, Blake é um chefe sério, competente em seu trabalho, mas não gosta de se envolver sentimentamelmente com ninguém. Algumas perdas na vida o fizeram ficar receoso, preferia apenas contato carnal com suas mulheres. A quem ele escolhia a dedo, ou as caçava, como ele gosta de mencionar. Ele é meu mocinho safado, carrasco e apaixonante. 
Isabella é extrovertida, boca dura, não leva desaforo para casa e não tem dramas para resolver na vida. Apenas decidiu que se apaixonar não serve pra ela, não abre mão de controlar seus sentimentos e é extremamente liberal com seus desejos. A menina é demais, amei cada parte que descobri da personagem.
 

Isa e Blake, qual foi a primeira impressão de verdade que tiveram acerca um do outro?  
Blake:
Eu não sou um cara de meias palavras, meios termos, metades. Nada disso! E quando eu vi aquela mulher entrando em meu escritório sabia com certeza que teria que tê-la por inteiro. Cada pedacinho do seu corpo e muito mais. Necessitava de mais! E peguei. Eu tenho o que desejo e ponto final! Minha primeira impressão de Isabella Leal foi que ela era um problema. 

Isabella:
Hum, delicioso! O homem transpirava sensualidade por cada poro, aquela cara de homem mal, deliciosamente vestido em um terno bem cortado, lábios carnudos e arrogância pura. Essa foi minha impressão do chefe carrasco e não me enganei. Mas sabia que seria como uma droga, se experimentasse a primeira vez estaria perdida, porque ele era um droga viciante, um predador à caça de sua presa. E sim, eu amo ser a presa dele!

Pergunta enviada pela autora Babi Barreto:
Qual o maior desafio em criar uma personagem: Ser como ela, ou criar algo totalmente diferente da sua personalidade? 
Acredito que ambos os casos são complicados. Criar uma personagem totalmente o oposto do que você é, na realidade, pode ser difícil, pois são atitudes e pensamentos distintos, mas ao mesmo tempo é gostoso porque é como se você conhecesse a personagem aos poucos, fosse desvendando e acaba se surpreendendo demais. Agora ser como uma personagem, ou seja, uma personalidade que se assemelha ao que você é, pode ser facil, porém, o envolvimento pessoal fica mais intenso e isso é bom e ao mesmo tempo não é. Então, a dificuldade é relativa, tem personagem que flui normalmente, tem personagem que demora a surgir. Acho que o segredo é abrir o coração e se deixar levar. 


Perguntas enviadas pela leitora Danielle Thamires:
Blake, você disse que gosta de mulher de personalidade forte. Então, por que você acreditou que estava apaixonado por Bianca, uma garota tímida e submissa? 
Exatamente por esse motivo, Bianca era fácil de amar, fácil de lidar. A segurança da sua submissão aos meus desejos me deixaram encantado. Não sexualmente falando, não sou um dominador, mas eu tinha controle da situação, não ficava com medo do que seus atos provocariam, ela fazia o que eu “aconselhava” e ficava feliz com a atenção que eu lhe oferecia. Totalmente diferente de certa provocadora.

Isabella, por que você que é uma pessoa tão determinada e confiante, deixou que algumas inseguranças não permitissem que você falasse o que sentia pelo Blake? 
Blake é intenso, cada pedacinho dele é demais para suportar. Por mais que eu goste de uma pegada forte (e minha nossa! O homem tem uma pegada), ele ameaçava minha segurança. E quando decidi viver minha vida de forma independente não queria que nada atrapalhasse o meu futuro. Conhecer Blake virou minha vida de pernas para o ar, literalmente, eu me vi uma pessoa diferente do que era e me fez insegura. Algo que realmente odiei, mas foi eclipsado pelos prazeres que tive com aquele carrasco gostoso.


Gisele como você descobriu essa veia para romances hots? A Isa tem alguma característica sua? E o Blake? Tem a personalidade inspirada em alguém que você conhece? (Haja charme e sensualidade para um homem só, né? risos). 
Ah, eu sempre amei livros hots. Leio romances de banca desde os quatorze anos. Quando resolvi escrever foi automático entrar nesse gênero, apesar de também amar romances românticos.
Isabella tem muito de mim, sou impulsiva, boca dura e o humor ácido dela também parece muito com o meu. (risos). 
Então, é complicado. Às vezes, acho que ele tem sim muito de alguém que conheço, não posso falar quem (risos). Mas ao mesmo tempo ele é totalmente fruto da minha imaginação. 

Pergunta enviada pela leitora Ana Carolina Carbonel:
Eu achei que a pegada do livro mudou na metade. Ficou mais suave, menos dinâmico, menos humor... Foi proposital? 
Nada nesse livro foi proposital. Dentre todos meus livros, ele foi o que fluiu mais facilmente, me diverti demais escrevendo e a própria história tomou seu rumo. Os personagens e a trama seguiram seu tempo. Mas acredito que ficou mais intenso, uma relação menos carnal e com mais sentimentos. 


Pergunta enviada pela leitora Iza Corat:
A única que consegui pensar, acho que complementa um pouco a da Babi, como é o processo de criação da personagem, não somente no físico, mas também em todo o aspecto psicológico. São feitas pesquisas para compor determinado aspectos de suas personalidades? Se sim, como você as faz? 
Alguns personagens surgem facilmente, são “simples” de criar e não tenho nenhuma trava de conflito de ideias, vamos dizer assim. Mas outros são complexos, preciso de pesquisas, eu procuro pessoas que acho que se parecem com elas e faço perguntas, observo... (risos) Principalmente os personagens masculinos. Mas pesquisa é complicado, porque personagens em si “nascem” como pessoas reais, eles moram na minha cabeça e ditam cada coisa, atos e sentimentos. É bem surreal.

***
Espero que você tenham gostado, pois amanhã tem mais "Pecaminoso"!

Beijos e amassos!!


terça-feira, 14 de abril de 2015

#SemanaPecaminoso - Conhecendo a autora Gisele Souza

Olá gente lindaaaaa!
Dando continuidade a #SemanaPecaminoso, a postagem de hoje é dedicada à autora, Gisele Souza. Abaixo vocês conferem uma breve biografia e uma entrevista.

Biografia: Gisele Souza nasceu em Volta Redonda, no Rio de Janeiro, em 01 de maio de 1987. Leitora compulsiva, apaixonada por livros, filmes e séries. Começou a se aventurar no mundo da escrita em 2013 e assim encontrou sua verdadeira vocação. "Inspiração" é seu primeiro romance publicado. Considera-se uma pessoa simples com uma vida descomplicada, casada e mãe de um menino lindo de cinco anos.  
Um pouquinho sobre mim:
Não gosto muito de me definir, mas podemos começar dizendo que sou uma pessoa simples. Tenho 27 anos, sou natural de Volta Redonda, Rio de Janeiro. Casada há seis anos, tenho um filho pequeno que é o amor da minha vida. Sou apaixonada por livros desde que me entendo por gente. 
Minha vida não foi muito tumultuada ou cheia de aventuras. Terminei o ensino médio em 2005 e não me interessei por nenhuma área para cursar faculdade. Casei-me com 20 anos e tive meu filho com 21. Eu descobri de repente minha carreira como escritora. E investi tudo nela. Encontrei minha vocação! Inspiração é meu primeiro livro publicado em formato digital. 
Tenho gostos simples e básicos. Adoro ler livros de todos os gêneros. Não sou de sair, prefiro ficar em casa assistindo um bom filme com meus meninos. Amo músicas de Rock, Pop a Românticas. Adoro cinema. 
O que espero do futuro é ser feliz e manter essa carreira que tanto amo. 

Links de venda do Pecaminoso:


Página de autora: 

Página no skoob: 

***
ENTREVISTA - Perguntas elaboradas por Débora Favoreto

Como surgiu o desejo de lançar um livro?

Caramba, difícil isso! (risos) Eu nunca fui uma pessoa de grandes sonhos, desejos “impossíveis”, mas tudo que eu me disponho a fazer vou até o fim, procuro realizar o melhor e, a partir do momento que eu decidi escrever, eu quis lançar meu livro. Queria que as pessoas conhecessem a história que criei e graças a Deus deu tudo certo. Tive o apoio do meu marido, que mesmo não sendo muito ligado à literatura, ele esteve e está ao meu lado a cada passo que dou. E isso é muito motivador. 

Como se sente com a receptividade das pessoas que leram Pecaminoso?

Nossa, confesso que tive, tenho e vou ter muito medo das reações. Pecaminoso é um livro erótico, mesmo tendo romance e humor, ele tem partes bem quentes que pode não agradar muitas pessoas. E eu tenho, ainda, muita dificuldade com isso. Mesmo sabendo que nunca conseguirei agradar todo mundo, busco isso e algumas vezes me decepciono. E muitas vezes me surpreendo. Caramba, quando “testei” o livro no Wattpad e as pessoas elogiavam, pediam por mais eu ficava em êxtase, era surreal. Aquilo me motivava, dava uma inspiração tremenda de continuar. E agora, com o livro publicado pela Editora Charme, já tive leitores que leram, gostaram e me procuraram dizendo que amaram, se apaixonaram... É uma sensação indescritível, um sentimento de dever cumprido, de um trabalho bem feito. É muito bom!

Por favor, fale um pouco sobre o livro Pecaminoso.

Bem, é difícil definir o livro. Ele é tão encaixadinho que se bobear eu conto spoiler sem querer. O nome surgiu diretamente do protagonista, Blake é arrogante, egocêntrico, intenso, lindo... Um verdadeiro pecado. E isso é muito dito entre os dois. Eu achei um nome legal para um livro erótico, é instigante e diferente (pelo menos não vi nenhum livro com esse nome). A história gira em torno da Isabella que ao terminar a faculdade de administração está à procura de um emprego na área de RH e é indicada para uma vaga de secretária na empresa que Blake é o CEO. Logo na entrevista, ela vê que não será fácil estar no mesmo ambiente que o carrasco (como ela o chama carinhosamente), mas segue em frente e é efetivada na empresa. E como bônus, podemos dizer assim, uma situação inusitada acontece, porém, logo depois, ela percebe que se tornou um erro e resolve dar o troco. Só que a vida tem uma maneira de nos dar uma rasteira. Blake se vê enredado nas teias da morena, e se encontra viciado. 
Os encontros dos dois são muito bem-humorados e quentes. Adorei escrever cada linha.

Você se inspirou em alguém para criar os personagens (Blake e Isa)?

Então... (risos) é complicado. Quando escrevi o conto do Pecaminoso foi uma maneira de “treinar” a parte hot da minha escrita que até então era mais “leve”. Blake foi criado estritamente da minha imaginação, claro que eu tenho um personal personagem, mas nada que seja uma inspiração em si. Para pensamentos, eu perguntei muito ao meu “personal”. Tipo: Homem pensa assim? Fala assim? Um homem faria isso? 
Agora para a Isa... (risos). Ela é uma mistura. Queria fazer uma mulher impulsiva, que não leva desaforo para casa, que sabe o que quer e pega. Desinibida e boca dura, além de muito bem-humorada! Mas inspiração em si não são, eles meio que são mistura de personalidades. 

Quais os avatares que pensa quando fala deles?

Ahhh, isso é demais! Quando escrevia o livro eu me inspirei muito nas fotos do Justin Clynes. Na expressão facial, corpo... Enfim, ele era o Blake. Agora fico um pouco dividida com o cara da capa, Reider Robert. Ele “encarnou” tão bem o Blake que meu coração dá uma balançada. (risos).
A Isa sempre foi a Victoria Justice, o rosto inocente, alta, magra, cabelos escuros e uma beleza comum. 

O que é mais difícil na vida de um escritor?

Pra mim é aprender a conviver com as críticas, tanto positivas quanto as negativas. Tem que saber tirar o melhor de cada uma. Não se deixar “flutuar” com os elogios, manter os pés no chão e fazer o melhor. E não levar para o lado pessoal as negativas.

Está envolvida em algum novo projeto?

Sim! Os projetos não acabam, graças a Deus. Além de dar continuidade à série Inspiração, eu estou escrevendo um livro novo, diferente do que estou acostumada, mas não tanto e estou amando. É uma delícia escrever coisas novas. E procuro diversificar nos gêneros. Amo!

Qual escritor considera de leitura obrigatória?

Vixi, agora complicou! (risos).
É difícil dizer apenas um, mas vou tentar. Acho que dos autores internacionais, J. R. Ward. Eu amo a série da Irmandade da Adaga Negra, é uma mistura de gêneros, situações. Perfeita! E dos nacionais, amo os livros da Maribell Azevedo. A escrita dela é de muita sensibilidade, qualidade e romance. Sou romântica de carteirinha e muito fã. 

Deixe uma mensagem aos leitores. 

Quero agradecer a todos que me acompanharam até aqui, aos que me incentivaram a escrever Pecaminoso. Aos que me ajudaram nessa jornada, que ficaram felizes pela minha conquista. Espero poder sempre surpreendê-los, fazer novas histórias, novas paixões. Sou grata por cada carinho. E a cada novo leitor, tenho um novo amigo. Obrigada por dividirem essa paixão comigo.

***
Beijos e amassos!!